China compra soja dos EUA para reabastecer reservas estatais

A China aumentou as compras de soja esta semana para reabastecer as reservas estatais, adquirindo mais de 500 mil toneladas e aproveitando os baixos preços globais. Traders disseram que outros acordos são prováveis.

REUTERS

17 de novembro de 2011 | 16h54

A China, que compra 60 por cento da soja negociada no mundo, quer importar um total de 2 milhões de toneladas no ano 2011/12, e com as últimas compras parece ter alcançado mais de 60 por cento da meta.

A atitude do país de se aproveitar de um momento de boa oferta global da oleaginosa, a baixos preços, ocorre mesmo em um momento em que os preços dos alimentos no país - grande fonte de pressão inflacionária - subiram 11,9 por cento em outubro ante o ano passado, menor aumento anual desde maio.

Este mês, o contrato de primeiro vencimento da soja na bolsa de Chicago (CBOT) recuou quase 2 por cento em meio a preocupações de que a crise da dívida europeia piore. Por volta das 10h20 (horário de Brasília) o contrato era cotado a cerca de 11,815 dólares por bushel.

"É um preço muito interessante para que as reservas estatais comprem, quando os preços caem abaixo de 12 dólares por bushel", disse um gestor de trading de grãos estatal, que não quis ser identificado.

A China Grain Reserves Corp (Sinograin), que controla as reservas estatais, comprou nove carregamentos de soja norte-americana de até três exportadores dos Estados Unidos na terca-feira a noite, para embarque no primeiro semestre do ano que vem, disseram fontes.

Os preços do produto na entrega devem ficar entre 3.850 iuan e 3.950 iuan por tonelada (US$606,7-US$622,4), disseram, valores menores que os da soja chinesa.

A compra de soja é a segunda da Sinograin este ano.

O porta-voz da Sinograin, Cheng Bingzhou, não estava imediatamente disponível para comentar.

MENOR PRODUÇÃO, MAIOR IMPORTAÇÃO

As importações de soja da China devem aumentar mais de 10 por cento, para cerca de 58 milhões de toneladas no ano até setembro de 2012, à medida em que o país eleva sua produção de carne suína para aliviar o aperto da oferta e a inflação dos alimentos.

A produção de soja 2011 da China deve cair mais de 10 por cento ante as 12,5 milhões de toneladas do ano passado, para 13,5 milhões, disseram participantes da indústria.

(US$1=6,346 Iuan chinês)

(Reportagem de Zheng Xiaolu e Don Durfee)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJACHINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.