China conclui julgamento de suborno na Rio Tinto; processo continua

Outras sessões, que serão realizadas mais tarde, vão tratar da acusação de roubo de segredos comerciais 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

23 de março de 2010 | 11h32

Os aspectos do julgamento envolvendo o suborno de quatro funcionários da mineradora anglo-australiana Rio Tinto, foram concluídos na manhã desta terça-feira (horário local), em Xangai, na China. Outras sessões, que serão realizadas mais tarde a portas fechadas, vão lidar com os aspectos do caso relacionados à acusação de roubo de segredos comerciais, disse Ton Conner, cônsul-geral da Austrália, em Xangai.

 

De acordo com o cônsul, mais testemunhos e considerações sobre o suborno foram discutidos no tribunal. Ele não quis revelar qualquer novo detalhe do caso, que incluiu a confissão na segunda-feira pelos funcionários da mineradora, entre eles o australiano Stern Hu, de que aceitaram suborno.

 

As declarações de Conner foram feitas após o término da sessão realizada no Tribunal Popular Intermediário Número 1 de Xangai. O tribunal não permitiu que jornalistas acompanhassem o julgamento, exceto três representantes da agência de notícias estatal chinesa. Os diplomatas da Austrália tiveram lugar na sala de audiência, uma vez que o executivo Stern Hu, uma dos réus, é um cidadão australiano.

 

Embora os representantes do governo da Austrália tenham participado do processo até agora, eles não poderão voltar ao tribunal para um conjunto separado de alegações, nas quais os quatro funcionários da Rio Tinto são acusados de terem obtido ilegalmente segredos comerciais. Os detalhes sobre as acusações não são conhecidos e é improvável que sejam divulgados ao público, uma vez que o tribunal determinou que os aspectos do roubo dos segredos comerciais do julgamento não fossem revelados a todos os expectadores, incluindo os representantes consulares.

 

Segundo Conner, durante a sessão, os promotores ofereceram mais detalhes das acusações de suborno, os réus foram autorizados a falar e os seus advogados a oferecer "réplicas". O processo foi então repetido, disse ele.

"Ao final desse processo, os juízes declararam o fim do julgamento relacionado às acusações de suborno", afirmou o cônsul australiano. "Estamos bem no meio do processo", conclui Conner, que não quis fazer mais comentários ou responder a perguntas.

 

O governo australiano se recusou a comentar qualquer detalhe adicional sobre o andamento do processo, dado que os promotores manterão o julgamento relativo ao roubo de segredos comerciais a portas fechadas pelo restante da audiência de três dias, prevista para ser encerrada nesta quarta-feira.

 

"Como foi declarado ontem, o julgamento continua e, como consequência, não estamos em posição de dizer mais nada neste momento", afirmou a porta-voz do Departamento de Comércio e Relações Exteriores de Austrália, em um comunicado. Ela reiterou que o governo australiano irá fazer "um comunicado" na conclusão do julgamento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio Tintosubornoprocessofuncionários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.