China congela de preços de energia para segurar inflação

O governo da China anunciou ontem medidas para congelar os preços regulados de energia e outros serviços públicos, em uma tentativa de combater a inflação, a qual foi exacerbada pela alta global dos preços de petróleo. "Os preços de gasolina, gás natural e eletricidade não serão ajustados no futuro próximo, e os custos de gás, água, calefação e transporte público em cidades não deverão ser elevados", disse o governo chinês em comunicado. O governo também indicou a estabilização de preços de serviços médicos e fertilizantes agrícolas. A diretriz foi divulgada após a reunião do Conselho de Estado, presidida pelo premiê chinês, Wen Jiabao.O comunicado determinou que os governos locais da China devem realizar verificações especiais nos preços de grãos, óleo, carne e gás liquefeito antes do feriado chinês do Ano Novo Lunar, que começa no dia 7 de fevereiro. As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.