China consulta OMC sobre tarifas dos EUA para pneus

Sinalizando que o país poderá retaliar, governo chinês investiga importação de frango e autos dos EUA

AE,

14 de setembro de 2009 | 09h44

A China está consultando a Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre a decisão dos Estados Unidos de impor novas tarifas sobre pneus de automóveis e caminhões leves importados pelos EUA da China, anunciou o Ministério do Comércio chinês. As novas tarifas foram sancionadas pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na noite de sexta-feira, motivando uma manifestação enérgica do governo de Pequim, que classificou a medida de protecionista e disse que ela viola os acordos de comércio global.

 

Veja também:

linkChina classifica tarifas dos EUA à pneus como protecionismo

 

Neste último domingo, o Ministério de Comércio da China comunicou através do seu website que abriu uma investigação sobre acusações de importação desleal de produtos automotivos e aviários dos EUA. Segundo o Ministério, indústrias chinesas têm reclamado de dumping e subsídios para estes produtos. Uma rádio estatal informou que a investigação "não é obviamente retaliação", mas uma resposta a preocupações expressas pela indústria doméstica.

 

O ministro do Comércio da China, Chen Deming disse que os EUA não cumpriram a promessa feita durante o encontro do G-20 e que a ação viola as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Recentemente, a América e a China conduziram diversas negociações em diferentes níveis, mas as exigências norte-americanas são muito elevadas, portanto não houve nenhum acordo, o que a China lamenta", afirmou.

 

"O governo chinês vai continuar preservando pelos interesses legítimos da indústria doméstica chinesa e tem o direito de tomar medidas correspondentes", declarou o ministro.

 

Em um documento de duas páginas, a China contesta que as tarifas não estão coerentes com os fatos. Segundo o documento, não houve esse aumento de exportações de pneus para os EUA. Para Pequim, as exportações tiveram um crescimento de 2,2% em 2008, ante 2007, e queda de 16% na primeira metade de 2009, ante igual período de 2008.

 

As novas tarifas incidirão sobre uma tarifa existente de 4% sobre todos os pneus importados da China. A medida entra em vigor no dia 26. As informações são das agências internacionais e Dow Jones. (Patricia Lara, Daniel Cooke e Marcílio Souza)

 

China investiga importação de frango e autos dos EUA

 

A China abriu neste último domingo investigação sobre as importações de carne de frango e produtos automotivos dos Estados Unidos, após a administração Barack Obama decidir impor tarifas sobre as compras de pneus chineses.

 

Sinalizando que o país poderá retaliar os EUA, o Ministério de Comércio da China disse por meio de um comunicado que está investigando reclamações feitas por empresas domésticas de que alguns produtos norte-americanos estariam sendo vendidos a preços abaixo do custo no mercado chinês, ou estariam sendo beneficiados por subsídios. A rádio estatal comunicou neste último domingo que a investigação "obviamente não é uma medida de retaliação, mas uma resposta às preocupações da indústria doméstica."

Tudo o que sabemos sobre:
ChinapneusOMCEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.