China corresponde às expectativas e cresce 9,9%

Correspondendo às expectativas, a China anunciou oficialmente, nesta quarta-feira, que o Produto Interno Bruto(PIB) de 2005 cresceu os 9,9% esperados. O resultado foi informado às vésperas da reunião anual da Assembléia Popular Nacional (APN) e da Conferência Consultiva, Política do Povo Chinês (PCCPC).Segundo o diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ministério do Comércio, Lu Jianhua, o comércio exterior também deverá crescer entre 15% e 20% em 2006. Na opinião do executivo, a China continuará acumulando um grande superávit comercial em sua balança. Sem citar números, ele afirmou que o saldo deverá ser "ligeiramente inferior aos US$ 101,9 bilhões alcançados em 2005" . Consumo interno e desequilíbrioUm outro estudo divulgado na China mostra que a participação do consumo interno na economia vem caindo nos últimos anos. Para o diretor do Departamento para Empresas do Ministério das Finanças, Zhou Laizhen, o mercado chinês "está sofrendo um grande desequilíbrio entre a procura interna e o comércio exterior". Segundo Zhou, o mercado doméstico cresceu nos últimos anos a uma taxa média de 8,6%, contra a média de 9,7% do PIB.Contribuição A contribuição do consumo para a expansão da economia nacional caiu 73% registrados ao final do 9o. Plano Qüinqüenal para 45% ao final do 10o.Plano Qüinqüenal, que terminou em 2005.Segundo estatísticas, no período entre 93 e 2003, a contribuição do consumo interno para o crescimento da economia foi de 59,5%. O índice caiu para 53,4% em 2004, e manteve a trajetória no ano passado quando chegou a 49%. Segundo o diretor, o índice mundial no mesmo período foi de 78%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.