Jason Lee/Reuters
Jason Lee/Reuters

China corta tarifas de importação e exportação para incentivar empresas

Governo do país pretende ajudar companhias locais a reduzir custos diante da desaceleração da economia

O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2015 | 09h59

O Conselho Estatal da China, o gabinete do país, afirmou nesta quarta-feira, 26, que reduzirá tarifas para importação e exportação pagas por companhias locais, para ajudar a reduzir os custos em meio à fraqueza no cenário comercial. 

O gabinete chinês disse em comunicado que iria reduzir algumas tarifas relacionadas ao comércio exterior coletadas pelo governo central, bem como estabelecer novos níveis tarifários recolhidos pelos governos locais. Não foram divulgados detalhes sobre os cortes.

O comunicado também disse que as tarifas seriam reguladas em portos e desembarcadouros e que seria publicada uma lista das tarifas relacionadas à importação e à exportação.

As reduções tarifárias são divulgadas após a China registrar dados comerciais mais fracos que o esperado em julho. As exportações do país tiveram queda de 8,3% em julho, na comparação com igual mês do ano passado, revertendo o ganho de 2,8% de junho. As importações caíram pelo nono mês consecutivo, recuando 8,1% em julho na mesma comparação anual, após uma queda de 6,1% em junho.

A China desvalorizou o yuan em cerca de 2% neste mês, uma medida que pode ajudar o setor exportador do país. Para o sistema financeiro, o governo injetou US$ 21,8 bilhões na economia, na tentativa de conter a volatilidade no mercado de ações. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Tudo o que sabemos sobre:
Chinacomércio exterior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.