China determina congelamento temporário de preços administrados

As autoridades monetárias chinesas ampliaram seus esforços para controlar preços e inibir investimentos, centralizando as pressões nos governos locais, ao invés de anunciarem hoje, na volta do feriado prolongado, o aguardado aumento das taxas de juros no país.Em uma tentativa de prevenir que as pressões inflacionárias contaminem todo o país, a Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional (CRDN) determinou que os governos locais façam uma espécie de "congelamento" dos aumentos dos preços administrados, caso os preços gerais aos consumidores excederem determinados limites.Se os preços aos consumidores em uma província superarem 1% no mês ou 4%, no ano, em três meses consecutivos, as autoridades locais devem suspender aumentos dos preços administrados nos três meses subseqüentes. Os preços controlados pelas administrações incluem aqueles de determinadas áreas de transporte, assim como os cobrados pelo fornecimento de água e eletricidade ? três segmentos que têm registrado crescimento da demanda por causa do ritmo acelerado de expansão da economia.Setores receberão menos investimentosO CRDN também ordenou que os governos locais investiguem e reavaliem os projetos de investimento fixo em determinados setores da economia e se a concessão de terras para cultivo agrícola foi direcionada para zonas industriais.As autoridades chinesas têm intensificado seus esforços para esfriar determinados segmentos da economia. Os setores imobiliário, siderúrgico e de cimentos e alumínio, considerados aquecidos, têm sido alvo de medidas restritivas por parte do governo. As determinações da CRDN contribuíram para respaldar as análises de que o país prepara-se para aumentar sua taxa de juros. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.