Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

China deve observar expectativas inflacionárias

A China não enfrenta uma inflação agora, mas o governo deve prestar atenção às expectativas inflacionárias, disse Li Xiaochao, porta-voz do Escritório Nacional de Estatísticas. Segundo Xiaochao, os aumentos mensais nos índices de inflação no atacado e no varejo indicam que as expectativas inflacionárias existem.

Agência Estado,

22 de outubro de 2009 | 06h33

De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China caiu 0,8%, na comparação com o mesmo mês do ano passado, mas aumentou 0,4% em relação a agosto. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) baixou 7% em setembro, comparado ao de um ano antes, mas aumentou 0,6% sobre o de agosto.

Xiaochao disse que ainda há incertezas no ambiente econômico geral e reiterou a posição do governo de manter uma política macroeconômica flexível, mas estável. O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 8,9% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado e 7,7% no acumulado dos três primeiros trimestres do ano, conforme os números divulgados hoje pelo governo.

O crescimento forte e em aceleração está chamando a atenção para quando Pequim abandonará seu programa de estímulo econômico, tendo a inflação como uma de suas maiores preocupações. Pela primeira vez desde o início da crise financeira global, o Conselho de Estado disse ontem que está acrescentando a administração das expectativas inflacionárias à sua lista de tarefas na economia, sugerindo que alguma calibragem da política econômica pode ser feita nos próximos meses. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinainflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.