AFP
AFP

China diz que novo pacote de tarifas é 'totalmente inaceitável' e planeja retaliação

Em comunicado, Ministério do Comércio chinês afirma que adotará 'medidas necessárias para proteger os interesses do país'; pasta entrará com nova queixa na Organização Mundial do Comércio.

O Estado de S.Paulo

11 Julho 2018 | 04h31

PEQUIM - O governo chinês considerou "totalmente inaceitável" o anúncio de novas tarifas contra produtos nacionais emitido pelos Estados Unidos nesta quarta-feira, 10. A medida impacta as importações do país em US$ 200 bilhões e foi movida pela Casa Branca após a falta de acordo nas negociações da disputa comercial entre Pequim e Washington.

+ Estados Unidos anunciam tarifa sobre mais US$ 200 bi em produtos chineses

"É totalmente inaceitável que os Estados Unidos anunciem um pacote de tarifas de uma forma acelerada e escalada", informou o Ministério do Comércio da China em comunicado. "O governo chinês será forçado a adotar medidas necessárias para proteger os interesses do país". O governo, no entanto, não apresentou quais retaliações serão adotadas contra os Estados Unidos.

A única ação anunciada pelo Ministério do Comércio é a apresentação imediata de uma queixa adicional contra os Estados Unidos à Organização Mundial do Comércio. "Pedimos à comunidade internacional que trabalhem para salvaguardar as regras do livre comércio e o sistema comercial multilateral", disse a pasta.

+ Em ameaça à China, Trump diz que total a ser tarifado pode chegar a US$ 400 bi

Mais cedo, o vice-ministro do Comércio chinês, Li Chenggang afirmou que o novo pacote americano iria "destruir" o comércio entre os dois países. "As escaladas nas tarifas entre a China e os Estados Unidos conduzirão, inevitavelmente, à destruição do comércio chinês e americano", disse. Segundo Chenggang, a postura da Casa Branca "interfere com o processo de globalização econômica" e "danifica a ordem econômica mundial".

+ Tesla aumenta preços na China após guerra comercial afetar montadoras

Na noite de quarta-feira, 10, os Estados Unidos anunciaram um novo pacote de tarifas de 10% sobre importações chinesas estimadas em US$ 200 bilhões. A lista inclui produtos agropecuários, de frutas a legumes, vestuário, artigos esportivos, material de construção, mineração, componentes de bens de consumo. As novas tarifas foram uma resposta da Casa Branca à falta de acordo com a China nas negociações sobre a disputa comercial. A previsão é que o pacote entre em vigor em setembro.

Na última sexta-feira, 6, a escalada na disputa comercial se elevou após os Estados Unidos oficializar outro pacote de tarifas sobre US$ 34 bilhões de importações chineses. A China adotou postura semelhante e também elevou tarifas sobre produtos americanos. //ASSOCIATED PRESS, AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.