finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

China e EUA vão evitar depreciação cambial desordenada e competitiva

A China e os Estados Unidos concordaram em evitar uma depreciação cambial sustentada, desordenada e competitiva, afirmou o governo chinês nesta quinta-feira após conversações anuais de alto nível entre os dois países.

REUTERS

10 de julho de 2014 | 10h05

A China também concordou em aumentar a flexibilidade cambial para refletir os fundamentos econômicos, afirmou o governo em comunicado.

O país continuará a avançar com a reforma da taxa cambial e da taxa de juros, e reduzirá a intervenção na moeda quando as condições permitirem.

Pequim também vai expandir a demanda doméstica como o principal motor da economia, completou o governo, e acelerará as reformas de preços nos seus mercados de petróleo, eletricidade e gás natural.

O governo vai ainda ampliar as reformas de empresas estatais e organizar uma comunicação com os Estados Unidos sobre governança corporativa.

(Reportagem de Kevin Yao)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINADEPRECIACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.