China e EUA vão negociar disputa comercial no final de agosto

China e EUA vão negociar disputa comercial no final de agosto

Movimento pode trazer na resolução de um conflito que colocou os mercados financeiros mundiais no limite

Reuters

16 de agosto de 2018 | 09h22

PEQUIM - A China vai realizar nova rodada de negociações comerciais com os Estados Unidos em Washington no final deste mês, informou o governo chinês nesta quinta-feira, 15, movimento que pode trazer esperança para o progresso na resolução de um conflito que colocou os mercados financeiros mundiais no limite.

Uma delegação chinesa liderada pelo vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, se reunirá com representantes dos EUA liderados pelo subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, David Malpass, informou o Ministério do Comércio em comunicado.

Embora o engajamento tenha sido visto por analistas e empresários como positivo, eles alertaram que as negociações provavelmente não levariam a um avanço, já que ocorrerão entre funcionários de segundo escalão.

Também continua a grande lacuna entre os dois lados sobre as exigências de Washington de que Pequim melhore o acesso ao mercado e as proteções de propriedade intelectual para as empresas dos EUA, e reduza o déficit comercial de 375 bilhões de dólares com a China.

“O segundo escalão da delegação sugere que ambos os lados permanecem distantes, e um acordo para essa visita é muito improvável”, escreveu o chefe do escritório de Pequim do banco de investimento Everbright Sun Hung Kai, em nota, Jonas Short.

As notícias da reunião deram impulso ao iuan e ajudaram a limitar as perdas nos mercados de ações da China. As duas maiores economias do mundo estão numa disputa de tarifas desde o início do ano envolvendo centenas de bilhões de dólares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.