finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

China é um importante parceiro comercial da Alemanha, diz Merkel

Chanceler alemã afirmou que os dois países precisam desenvolver mais suas indústrias a fim de alcançar crescimento econômico no futuro

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

23 de abril de 2012 | 11h58

A China é um importante parceiro para a Alemanha, e ambos os países precisam desenvolver mais suas indústrias a fim de alcançar crescimento econômico no futuro, afirmou a chanceler alemã Angela Merkel.

"A China é um parceiro extraordinário", afirmou Merkel, em um discurso no Fórum econômico Alemanha-China na feira de comércio industrial Hannover Messe, em Hannover. "Ambos os países estão convencidos que uma base industrial real nos tornará fortes em tempo de enfraquecimento mundial", afirmou Merkel, acrescentando que a indústria convencional é importante para o crescimento econômico futuro.

As empresas nos dois países registraram um novo comércio combinado recorde, de € 154 bilhões, em 2011, afirmou Merkel, e não foi mais somente uma "via de mão única", com apenas a Alemanha exportando para a China. As exportações da China para Alemanha também aumentaram, destacou a chanceler. "Nós estamos trabalhando em uma relação comercial mais equilibrada", disse ela.

Merkel participou, junto com o primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, e o ministro para Indústria e Tecnologia da Informação da China, Miao Wei, de um painel sobre a promoção das relações econômicas da Alemanha e da China na feira. A viagem de Wen à Alemanha é parte de uma visita oficial para quatro países europeias neste semana.

Mais tarde, os dois líderes deverão visitar a Volkswagen, em Wolfsburg. A montadora planeja abrir uma fábrica na China, disse Merkel, acrescentando que esses investimentos da Alemanha no país continuarão.

Wen afirmou que a China e a Alemanha deveriam expandir o comércio de mão dupla e ampliar a cooperação ambiental. "Estamos trabalhando para dar igual ênfase para as importações e exportações e estamos dispostos a importar mais da Alemanha, acrescentou Wen. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaAlemanhaMerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.