finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

China e zona do euro firmam compromisso sobre câmbio comércio

A China e os 13 países que usam o eurochegaram a um acordo nesta terça-feira para cooperar na reduçãodos desequilíbrios econômicos globais ao mesmo tempo em quecombatem a volatilidade cambial. O compromisso foi expressado em um breve comunicado emitidopelo banco central chinês depois que seu diretor, ZhouXiaochuan, encontrou três autoridades da zona do euro paradiscutir as reclamações sobre a necessidade de uma valorizaçãomuito mais rápida do iuan. "Os dois lados concordaram em fazer um esforço conjunto etomar medidas abrangentes para realizar ajustes econômicosestruturais, evitar grandes variações nas taxas de câmbio e daruma contribuição para um ajuste ordenado dos desequilíbriosglobais", trazia o comunicado. Zhou se reuniu com o presidente do Banco Central Europeu(BCE), Jean-Claude Trichet, com o primeiro-ministro deLuxemburgo, Jean-Claude Juncker, e com o comissário europeupara assuntos monetários, Joaquín Almunia. Os europeus estão desconfortáveis com a queda constante doiuan em relação ao euro, que avaliam estar exacerbando osdesequilíbrios globais e alimentando o protecionismo na Europa. Siderúrgicas européias apresentaram uma nova queixa dedumping contra as importações de aço chinês nesta terça-feira,um dia antes da cúpula entre União Européia e China que iráfocar o valor do iuan e outros atritos comerciais. O comissário de comércio da União Européia, PeterMandelson, pediu a Pequim que cumpra com as normas daOrganização Mundial do Comércio (OMC), dizendo que a UniãoEuropéia tratará o país como qualquer outro parceiro comercial--uma ameaça velada de queixa formal na organização. "Esta é a única maneira pela qual poderemos sustentar oapoio político que precisamos na Europa para enfrentar osdesafios e as mudanças que a relação econômica aberta com aChina impõe sobre nós", escreveu Mandelson nesta terça-feira noChina Daily. (Por Jason Subler, Chris Buckley e Eadie Chen)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.