China eleva compulsório pela 10ª vez

Bancos terão de depositar 14,5% de suas reservas no Banco do Povo; objetivo é conter a alta da inflação

João Caminoto, O Estadao de S.Paulo

11 de dezembro de 2007 | 00h00

O Banco do Povo da China (banco central) elevou, pela 10ª vez neste ano, os depósitos compulsórios dos bancos. O objetivo é conter a escalada da inflação. O Índice de Preços ao Produtor, por exemplo, subiu 4,6% em novembro, na comparação com igual mês do ano passado, maior alta desde agosto de 2005. O banco central chinês disse, em nota, que o aumento do compulsório visa a "fortalecer a administração da liquidez do sistema bancário e evitar o crescimento excessivamente rápido do crédito". A taxa de reserva bancária foi elevada em um ponto porcentual, para 14,5% ao ano, a partir de 25 de dezembro, para a maior parte dos bancos comerciais. É a maior taxa desde meados de 1980.A alta é duas vezes maior que as outras que o BC chinês aplicou ao longo de 2007. No ano passado, o Banco do Povo da China subiu a taxa apenas três vezes; neste ano, o compulsório foi elevado todos os meses, com exceção de março e julho. Paralelamente aos aumentos da taxa de reserva dos bancos, o BC chinês elevou a taxa básica de juros cinco vezes neste ano, contra duas em 2006.As medidas, porém, se mostraram até agora ineficientes em seu objetivo de conter o excesso de liquidez na economia, causado em parte pela lenta e administrada valorização do yuan. O grande superávit comercial chinês também ampliou a liquidez.Para analistas, a decisão do Banco do Povo da China pode marcar o início de uma estratégia mais agressiva para desacelerar o ritmo de atividade econômica, mas não sinaliza altas mais freqüentes dos juros.Flemming Nielsen, economista do Danske Bank, observou que tradicionalmente a taxa compulsória tem sido usada para enxugar o excesso de liquidez criado pela intervenção cambial promovida pelo BC chinês. "Entretanto, parece que as elevações mais recentes têm apertado as condições de liquidez no mercado de atacado, nos quais a disponibilidade de dinheiro tem aumentado", disse. "De outro lado, continua existindo alguma relutância no BC chinês em usar o instrumento da taxa de juros para promover o aperto monetário."Ben Simpfendorfer, economista do Royal Bank of Scotland, disse que o depósito compulsório é o instrumento primário do BC chinês para esterilizar as intervenções no mercado cambial. "O superávit comercial mais amplo nos últimos meses do ano, causado por fatores sazonais, requer uma esterilização mais agressiva."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.