China estimulará consumo nacional e setor de serviços

O governo da China pretende aumentar o consumo nacional e o setor de serviços, deficitários na China, apesar de o país ser a quarta potência econômica no mundo, informou hoje o jornal governista China Daily.O consumo caiu para 51% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2005, longe dos 62% alcançados em 2000, informou o diretor da Comissão Nacional de Reforma e Desenvolvimento chinês, Ma Kai.Já a indústria de serviços representou 40% da economia em 2005, abaixo dos 42% que a China registrou cinco anos antes. O resultado também é 10% inferior à participação de outros países com renda per capita parecida (em torno de US$ 1 mil)."Vamos potencializar e abrir ainda mais o setor de serviços nos próximos cinco anos", anunciou o vice-primeiro-ministro, Zeng Peiyan, durante uma reunião com o diretor-executivo da companhia americana FedEx, Frederick Smith.Investimento exteriorMa Kai, no entanto, recomendou que o investimento exterior seja freado. No ano passado, a aplicação de recursos externos atingiu 45% do PIB, o índice mais alto desde 1994. Em 2000, foi de 36%."Nosso crescimento econômico nos últimos cinco anos se baseou no investimento e na exportação. Este modelo de crescimento trará instabilidade ao crescimento econômico", afirmou Kai em um discurso publicado pelo Diário do Povo.O investimento direto estrangeiro cresceu 25,7% em 2005. Neste ano, Pequim espera limitar o aumento a 18%, já que a prioridade para 2006 será o consumo doméstico, anunciou o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, há duas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.