Nicolas Asfouri/AFP
Nicolas Asfouri/AFP

China garante que não iniciará guerra comercial com os EUA

O ministro do Comércio chinês disse que não há vencedores nas guerras comerciais, mas apenas resultados desastrosos para todos os países do mundo

EFE

11 Março 2018 | 01h51

PEQUIM - O ministro do Comércio da China, Zhong Shan, afirmou neste domingo que o país não iniciará uma guerra comercial com os Estados Unidos, mas ressaltou que seu governo defenderá os interesses nacionais contra as novas tarifas americanas sobre as importações de aço e alumínio.

Zhang disse em uma entrevista coletiva em Pequim que não há vencedores nas guerras comerciais, mas apenas resultados desastrosos para todos os países do mundo. No entanto, o ministro destacou que a China é capaz de enfrentar a medida imposta pelos EUA e defender seus interesses nacionais.

Na última quinta-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma ordem para impor uma tarifa de 25% sobre as importações de aço e de 10% para as de alumínio.

+++ Sem aço brasileiro, siderúrgica nos Estados Unidos fica inviável

A medida afetará todos os países que comercializam os produtos com os americanos, exceto México e Canadá.

A China criticou com firmeza as novas tarifas. Para Pequim, a medida terá um "grande impacto" sobre o comércio internacional. Por esse motivo, o governo pediu que as sobretaxas sejam retiradas o mais rápido possível.

A Associação do Ferro e do Aço da China pediu que as autoridades do país respondam às tarifas que, segundo a entidade, "violam as normas da Organização Mundial do Comércio (OMC)". /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.