China igualará impostos de empresas nacionais e estrangeiras

A China deve igualar a cobrança de os impostos das empresas nacionais e estrangeiras a partir de 2008. Pelo menos foi isso o que afirmou, nesta sexta-feira, o jornal Beijing News, explicando que a lei, uma das mais polêmicas da economia do pais, será apresentada em maio ao Conselho de Estado (Executivo). A porcentagem definida é de 25%. A medida já encontrou a oposição das facções do Partido Comunista, que defendem a aceleração do desenvolvimento econômico. Esses grupos acham que, se a equiparação for aprovada, o investimento estrangeiro, favorecido por uma carga tributária 9% menor que a imposta às empresas locais, cairá. Atualmente, as empresas nacionais têm uma carga tributária de 33%, ao passo que a das companhias estrangeiras é, no máximo, de 24%. Além disso, o país beneficia essas companhias com outras isenções. A expectativa é que, no fim de agosto, a emenda seja apresentada ao Comitê Permanente da Assembléia Nacional Popular (ANP, principal órgão legislativo) para sua apreciação. Segundo o subdiretor do departamento de Impostos Internacionais da Administração Estatal, Wang Yukang,, "haverá um período de transição antes que a lei entre em vigor em 2008". A China tornou-se um dos maiores destinos do investimento estrangeiro nos últimos anos, mas com a concorrência de algumas multinacionais, alguns setores do governo chinês pediram algum tipo de proteção às empresas nacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.