finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

China: indústria reduz expansão para 8,2% em outubro

O crescimento da produção industrial da China em outubro foi o mais baixo em vários anos, com retração nos setores de eletricidade, siderurgia e automóveis. A produção industrial de valor agregado cresceu 8,2% em relação a outubro de 2007, segundo informou num comunicado o Escritório Nacional de Estatísticas. Em setembro, a expansão havia sido de 11,4%. A média das projeções dos economistas consultados pela Dow Jones apontava um aumento de 10,8%.O Citigroup disse que o crescimento da produção industrial em outubro foi o mais baixo desde 2001, embora os dados históricos exatos não sejam informados pelo governo. No acumulado de janeiro a outubro, o aumento foi de 14,4%. O acumulado de janeiro a setembro havia apresentado alta de 15,2% em relação ao do mesmo período do ano passado. A expansão da indústria foi prejudicada por uma queda de 4% na geração de eletricidade, de 17% na produção de ferro-gusa e aço bruto, de 5,6% na de metais ferrosos e de um recuo de 0,7% no setor automotivo. O declínio realça a necessidade de o país estimular o consumo doméstico, enquanto os mercados de exportação permanecem fracos. "A diminuição do crescimento do superávit comercial terá de ser compensada pelo consumo doméstico e pelo investimento", disse Jing Ulrich, presidente da divisão do J.P. Morgan para o mercado de ações da China. Os dados da produção industrial de outubro são os mais recentes a ilustrarem a desaceleração econômica que levou Pequim a adotar uma série de medidas, incluindo um plano de estímulo fiscal de 4 trilhões de yuans (US$ 560 bi), anunciado no último domingo. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.