Reuters
Reuters

China injeta dinheiro nos bancos e dá isenção para pequenas empresas

Banco central chinês colocou US$ 17,18 bilhões no sistema financeiro do país; pequenas empresas vão ter isenções fiscais

Dow Jones Newswires

19 de agosto de 2015 | 11h04

O Banco do Povo da China (PBoC o BC chinês) injetou nesta quarta-feira, 19, 110 bilhões de yuans (US$ 17,18 bilhões) em liquidez no sistema bancário do país por meio de sua linha de crédito de médio prazo. Em comunicado, o PBoC informou que fez a injeção em 14 bancos por meio de um empréstimo de seis meses com taxa de juros a 3,35%.

Segundo o PBoC, a iniciativa tem como objetivo encorajar os bancos a apoiarem pequenas empresas e o setor agrícola.

As pequenas empresas também deverão ser incentivadas com mais isenções fiscais. Segundo o governo chinês, será expandido o escopo dos cortes de impostos para as empresas menores e ampliado o período de certas isenções fiscais por mais dois anos.

O imposto de renda para empresas com receita sujeita a taxações abaixo de 300 mil yuans (US$ 46.900) será cortado pela metade a partir de outubro deste ano até o fim de 2017, segundo o Conselho Estatal. Anteriormente, as isenções eram aplicadas apenas para companhias com receita sujeita a taxações abaixo de 200 mil yuan.

Incentivo. As medidas anunciadas pelo governo chinês tem como objetivo incentivar a economia local. Nesta quarta-feira, por exemplo, a China divulgou uma forte queda no investimento no exterior. Em julho ante igual mês do ano anterior, o recuo foi de 18,6%, para US$ 7,5 bilhões, segundo dados oficiais do Ministério do Comércio.

A queda, a segunda consecutiva, foi atribuída a investimentos menores na Europa, assim como em projetos de energia e relacionados a metais. .

Apenas os investimentos chineses na União Europeia diminuíram 90,7% na comparação anual de julho, informou o ministério. Já nos primeiros sete meses do ano, os investimentos em projetos de mineração e ligados a metais registraram declínio de 22,1% ante o mesmo período de 2014.

Apesar do fraco resultado de julho, o ministério ainda prevê aumento de 10% a 15% nos investimentos externos da China neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaBanco do Povo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.