China insiste que reforma cambial atenderá necessidades do país

A China vai realizar a reforma do iuan no seu ritmo, mantendo-se atenta ao crescimento e ao mercado de trabalho, disse uma unidade do banco central do país nesta quinta-feira.

REUTERS

31 de dezembro de 2009 | 12h50

O comentário feito em um relatório da Agência Estatal de Administração de Câmbio reforça a postura da China de não aceitar interferência externa em sua política cambial.

"Devemos decidir o método, o conteúdo e o momento da reforma cambial de acordo com nossas necessidades e nosso desenvolvimento", disse a agência.

"A reforma cambial precisa levar em conta o impacto na estabilidade macroeconômica, no crescimento e no emprego."

(Por Aileen Wang e Simon Rabinovitch)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINAIUAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.