China investiga multinacionais por preço de remédio importado

Laboratórios como GlaxoSmithKline e Merck são pressionados pelo governo chinês a mudar sua política de preços

XANGAI, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2013 | 02h09

A principal agência de planejamento econômico da China está investigando os custos e preços praticados pelas fabricantes de medicamentos, incluindo unidades da GlaxoSmithKline e da Merck, à medida que empresas estrangeiras são pressionadas por Pequim sobre possível fixação de preços.

O movimento ocorre após outra investigação sobre o leite em pó instantâneo, que já levou a cortes de preços. A investigação sobre leite pó incluiu a companhia suíça Nestle e a francesa Danone.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma está fazendo o levantamento dos custos de produção e preços cobrados em várias empresas farmacêuticas estrangeiras e chinesas, de acordo com um comunicado de 2 de julho.

O foco da investigação será concentrado na diferença de preço entre os produtos importados na China, por multinacionais como a GlaxoSmithKline, em comparação aos cobrados em outros países.

A notícia da investigação foi relatada ontem pelo jornal oficial Securities Daily.

A Comissão vai analisar 27 empresas sobre custos e 33 sobre precificação. A investigação está sendo feita para entender o custo e a situação dos preços dentro das empresas, e para ajustar os preços dos medicamentos.

Além da GSK e da Merck, outras empresas estrangeiras que estão sendo investigadas sobre os custos são Astellas, a unidade de genéricos da Novartis Sandoz, Boehringer Ingelheim, Baxter International e Fresenius.

Uma equipe de investigação da Comissão vai visitar as empresas envolvidas entre julho e outubro, disse a agência./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.