China não pode ser 'salvadora' da Europa, diz Xinhua

A China não pode assumir o papel de "salvadora" da União Europeia, nem fornecer uma "cura" para o mal-estar europeu causado pela grave crise da dívida na região, escreveu hoje em um comentário a agência estatal de notícias Xinhua.

AE, Agencia Estado

30 de outubro de 2011 | 09h51

Segundo a Xinhua, o acordo alcançado pelos líderes europeus na última quinta-feira é um avanço importante e vai estimular a confiança no curto prazo. Mas a agência acrescentou que o plano é apenas o começo de um processo longo e difícil para resolver de verdade a crise, sendo que serão necessários mais esforços conjuntos. "Depende dos países europeus resolver seus problemas financeiros. Mas a China pode fazer o que estiver dentro da sua capacidade para ajudar, como um amigo", diz o texto.

Em um evento na sexta-feira, o vice-ministro de Finanças chinês, Zhu Guangyao, disse que o país vai manter a "mente aberta" e elogiou as medidas adotadas pelos líderes da UE para conter a crise. Segundo ele, a China ainda está considerando se vai investir em um fundo de resgate especial. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaEuropacirse

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.