China oferece US$ 43 bi para reserva do FMI

A China ofereceu US$ 43 bilhões para as reservas do Fundo Monetário Internacional (FMI), completando uma ação global para quase dobrar os recursos da entidade a US$ 456 bilhões.

O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h01

O objetivo é ajudar a proteger países afetados pela crise da zona do euro. A contribuição é parte de uma promessa do G-20 feita em abril para garantir ao FMI poder de fogo extra. De acordo com uma tabela divulgada pelo FMI, Brasil, Rússia e Índia garantiram US$ 10 bilhões cada, enquanto a África do Sul ofereceu US$ 2 bilhões. O México também contribuiu com US$ 10 bilhões.

"Esses recursos são para prevenção e resolução de crises e para atender às necessidades potenciais de financiamento dos integrantes do FMI", disse a diretora-gerente do Fundo, Christine Lagarde. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.