China oficializa mercado de empréstimo interbancário

Medida vai ajudar os bancos a aumentar o capital e vai levar a uma maior liberalização das taxas de juros

Danielle Chaves da Agência Estado,

27 de setembro de 2010 | 08h16

A China lançou oficialmente no sábado , 25, um novo sistema para permitir que os bancos negociem empréstimos no mercado interbancário do país, informou o Banco do Povo da China (PBOC, o banco central do país). O movimento vai ajudar os bancos a aumentar o capital e reduzir os riscos e vai levar a uma maior liberalização das taxas de juros. O presidente do PBOC, Zhou Xiaochuan, participou da cerimônia de lançamento do mercado secundário realizada no sábado em Xangai.

O mercado de empréstimos interbancário na China surge no momento em que os bancos estão enfrentando exigências regulatórias mais rígidas para manter níveis de adequação de capital suficientes, com o objetivo de evitar potenciais riscos financeiros depois que o crescimento explosivo dos empréstimos no ano passado - provocado por programas de estímulo econômico dos governos - alimentou preocupações com bolhas de ativos e com a deterioração da qualidade do crédito.

De modo a formalizar as transações cada vez mais ativas no mercado interbancário chinês, a Associação Nacional dos Investidores Institucionais do Mercado Financeiro da China publicou sábado em seu website regras sobre transferência de empréstimos, com detalhes incluindo o procedimento padrão para a operação, o gerenciamento de crédito após vendas e o modo de lidar com a inadimplência.

As novas regras determinadas pelo acordo Basileia 3, aprovado no começo deste mês, aumentaram as exigências de qualidade de capital dos bancos. O presidente do PBOC afirmou na cerimônia que as novas regras vão ter uma função de guia importante na China enquanto os bancos mudam seus métodos operacionais, melhoram o gerenciamento de ativos e aumentam a qualidade do capital.

Zhou

afirmou que o sistema vai ajudar a melhorar a transmissão da política monetária, reforçando ajustes macroeconômicos e o controle do setor financeiro. Embora atualmente a negociação de empréstimos seja limitada apenas aos bancos comerciais, ela poderá ser em algum momento expandida para incluir novos investidores, informou a autoridade. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.