China perdoa dívida de US$ 81 milhões do Chade

A China assinou uma série de créditos e acordos de cooperação econômica com o Chade e perdoou parte dadívida externa no valor de US$ 81 milhões, cinco meses depois de restabelecer relações diplomáticas com o país africano, que rompeu seus laços com Taiwan, informa neste sábado o jornal oficial China Daily.O Chade rompeu em agosto seus laços diplomáticos com Taiwan, que a China considera uma província rebelde. Os acordos foram assinados durante a viagem de sete dias à África do líder da diplomacia chinesa, Li Zhaoxing. Em 31 de dezembro ele iniciou sua viagem por Benin, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Chade, República Centro-Africana, Eritréia e Botsuana.Durante sua visita à República Centro-Africana, Li perdoou US$ 11 milhões da dívida externa do país, e assinou acordos sem juros no valor de US$ 3,8 milhões. Além disso, os produtos centro-africanos serão isentos de tarifas no mercado chinês.Na Guiné Equatorial, Li perdoou mais US$ 75 milhões de dívida externa.Em sua primeira parada, no Benin, o ministro de RelaçõesExteriores chinês prometeu US$ 36 milhões em ajuda para facilitar "o desenvolvimento econômico e social do país".O chanceler chinês tem iniciado os últimos anos com uma viagem pela África, como parte da estratégia de aproximação política e comercial de seu governo com os países do continente, rico em recursos naturais.Alguns países ocidentais criticam o que consideram um"neocolonialismo" chinês na África. Mas o governo comunista responde com os projetos chineses destinados ao desenvolvimento no continente e afirma que a relação é de "benefício mútuo".O comércio bilateral entre a China e a África quadruplicou desde 2001, chegando a US$ 45 bilhões nos dez primeiros meses de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.