China pode abolir restrição a navios gigantes

As autoridades da China estudam um plano para permitir que alguns dos seus portos recebam navios de maior porte, em um movimento que pode abrir caminho para a brasileira Vale começar a entregar minério de ferro por meio de sua crescente frota de navios gigantes.

XANGAI, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2013 | 02h23

Proprietários de navios chineses têm se oposto fortemente ao acesso dos meganavios da Vale temendo que isso piore as condições de transporte nos portos, além de correrem o risco de perder participação de mercado para a empresa brasileira.

Mas sua utilização reduziria os custos de transporte das matérias-primas para as siderúrgicas chinesas.

Para a Vale, a aprovação para que seus navios Valemax entrem nos portos chineses ajudaria a mineradora a cortar custos de transportes em um terço e permitir uma maior competição com as rivais australianas Rio Tinto e BHP Billiton, cujas minas estão mais próximas do mercado chinês.

O Ministério dos Transportes da China barrou navios de grande porte dos portos do país no início de 2012, citando preocupações de segurança após o primeiro navio de 400 mil toneladas de porte bruto (tpb) Valemax atracar no Porto de Dalian em dezembro de 2011.

Na ocasião, o ministério afirmou que os navios de petróleo e granéis sólidos não poderiam exceder a capacidade nominal de um porto.

Porém, os portos chineses têm melhorado a infraestrutura nos últimos anos para atender à forte demanda por commodities, colocando a verdadeira capacidade acima do número aprovado. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.