China pode aumentar flexibilidade do yuan, diz TV

Xangai, 19 - O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, disse ao presidente dos EUA, Barack Obama, que a liberalização do yuan já mostrou efeitos claros, mas indicou que a China pode aumentar a flexibilidade da negociação de sua moeda, reportou o canal de TV CCTV neste sábado. A declaração de Jiabao é o mais recente sinal de que Pequim vê a taxa de câmbio do yuan como próxima de níveis equilibrados.

Agencia Estado

19 de novembro de 2011 | 12h11

"Nós estamos observando de perto as mudanças na taxa de câmbio do yuan...e estimularemos a flexibilidade da moeda em ambas as direções", afirmou Wen durante reunião com Obama realizada em uma cúpula regional, na Indonésia, segundo a CCTV.

Na semana passada, o presidente da China, Hu Jintao, disse a Obama, na cúpula anual de Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico, no Havaí, que os problemas de desemprego e déficit comercial enfrentados pelos EUA não são causados pela taxa de câmbio do yuan e não serão resolvidos pela valorização da moeda.

O ritmo da valorização do yuan desacelerou nas últimas semanas. A moeda caiu 0,2% ante o dólar na semana passada, seu maior declínio semanal desde janeiro.

Na sexta-feira, Li Daokui, um conselheiro do Banco do Povo da China (PBOC, o banco central chinês) afirmou em um fórum que o yuan poderia recuar e a China poderia ter um déficit comercial dentro de dois anos. As informações são da Dow Jones. (Clarissa Mangueira)

Tudo o que sabemos sobre:
Chinayuan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.