China pode elevar crédito à Petrobrás para US$ 15 bi

Acordo depende apenas da forma de pagamento; chineses querem receber em barris de petróleo, independentemente da cotação

Cláudia Trevisan, O Estadao de S.Paulo

15 de maio de 2009 | 00h00

O valor do financiamento do Banco de Desenvolvimento da China para a Petrobrás explorar a camada pré-sal poderá subir de US$ 10 bilhões para US$ 15 bilhões caso os dois lados cheguem a um acordo sobre a forma de pagamento do empréstimo.O presidente da estatal brasileira, José Sérgio Gabrielli, chega a Pequim amanhã, e na segunda-feira se reúne com representantes da instituição chinesa para acertar os últimos detalhes do contrato, para que ele possa ser anunciado na terça-feira pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hu Jintao.Por enquanto, nem mesmo a forma de pagamento dos US$ 10 bilhões divulgados em meados de fevereiro está totalmente acordada. O negócio foi anunciado durante visita ao Brasil do vice-presidente chinês Xi Jinping, apontado como provável sucessor de Hu Jintao em 2012.Os chineses querem da Petrobrás o compromisso de entrega física de um número determinado de barris de petróleo em um prazo definido, independentemente da cotação internacional do produto em cada momento.A Petrobrás quer entregar barris de petróleo ou o equivalente em dinheiro, caso a cotação esteja muito acima do que foi previsto no contrato.Segundo maior consumidor de petróleo do mundo, a China tenta garantir o suprimento do produto em momento de queda dos preços internacionais e está intransigente na defesa da entrega da commodity. Em meados do ano passado, o barril chegou a US$ 150, quase três vezes mais que os US$ 58 de ontem.A China importa metade do petróleo que consome e a previsão de analistas é que a dependência externa chegue a 70% em poucos anos. Diante desse cenário, Pequim vai em busca de contratos que garantam o fornecimento do produto.Um dia antes do anúncio do financiamento à Petrobrás em fevereiro, o Banco de Desenvolvimento da China emprestou US$ 25 bilhões à Rússia, que pagará com a entrega de 300 mil barris de petróleo por dia nos próximos 20 anos. O Banco de Desenvolvimento da China é a versão local do BNDES, com a diferença de que tem um volume de crédito muito superior ao do banco brasileiro. No fim de 2007, o valor total dos financiamentos concedidos pela instituição chinesa atingia US$ 325 bilhões, cifra que supera o Orçamento anual brasileiro. Desses recursos, apenas 0,92% eram destinados a operações fora da China.Antes de se reunir com o presidente Hu Jintao, às 17h de terça-feira, o presidente Lula participará de um almoço na sede do banco chinês com empresários dos dois países.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.