China prepara novos estímulos para o consumo doméstico, diz jornal

Fraca demanda externa faz país pensar em estratégias para estimular o consumo interno via crédito

AE, Agencia Estado

21 de agosto de 2012 | 08h09

PEQUIM - A China está considerando adotar mais incentivos no segundo semestre deste ano para impulsionar o consumo doméstico diante da fraca demanda no exterior pelas exportações do país, afirmou o jornal estatal Economic Information Daily, citando fontes.

Encorajar o uso do crédito para o consumo provavelmente é uma das políticas mais importantes que serão anunciadas neste ano, disse o jornal, acrescentando que o mercado de crédito subdesenvolvido é uma das razões do lento crescimento do consumo na China, que correspondeu a apenas 38% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2010.

A reportagem cita como um dos possíveis meios para expandir o uso do crédito entre os consumidores chineses a ampliação de subsídios ou descontos para compra de aparelhos domésticos, móveis ou veículos a prazo, mas não explica exatamente como esses subsídios funcionariam ou em quanto as compras seriam subsidiadas.

Uma desaceleração do crescimento da China neste ano levou o governo central a anunciar várias medidas de estímulo, incluindo incentivos para compra de aparelhos domésticos que consomem pouca energia e carros econômicos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaestímulosconsumo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.