China prevê crescimento econômico anual de 8% até 2010

Segundo um relatório do governo de Pequim divulgado nesta segunda-feira pela imprensa oficial, citada pela agência de notícias Efe, a economia chinesa crescerá a um ritmo de 8% ao ano no qüinqüênio 2006-2010, mas diminuirá um pouco o ritmo na década 2010-2020, quando se espera um crescimento anual de 7%. De acordo com o relatório, do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento da China, o PIB nacional chinês, que em 2004 foi de 1,65 trilhão de dólares, chegará em 2010 a 2,3 trilhões de dólares. O ministro da Comissão de Reforma e Desenvolvimento da China, Ma Kai, destacou durante a apresentação do estudo que em 2020 a China terá quadruplicado o PIB registrado em 2000 até alcançar os 4 trilhões de dólares. Segundo o estudo, publicado pelo jornal estatal China Daily, a renda per capita, atualmente de 1.090 dólares anuais, chegará a 1.700 dólares em 2010, mas continuará sendo consideravelmente inferior àdos países desenvolvidos. As previsões acrescentam que o principal fator que estimulará o desenvolvimento econômico da China nos próximos anos será a formaçãode capital, representando entre 60% a 70% do crescimento. No entanto, "será cada vez maior a contribuição de fatores como a urbanização, o investimento em recursos humanos ou a inovação tecnológica", destacou o estudo, apresentado em Pequim na inauguração do Fórum de Desenvolvimento na China 2005. O desenvolvimento estará apoiado em quatro pilares: "A relativamente forte base material e tecnológica nacional, a grande mudança da estrutura industrial, o vasto mercadodo país mais povoado do planeta e a melhora do ambiente investidor." O ministro Ma afirmou que os prognósticos otimistas dedesenvolvimento da China "não são uma ameaça a nenhum país", e assegurou que o crescimento "dará ao mundo o maior mercado dos próximos 15 anos". Ele destacou a contribuição da China também para o incremento da economia mundial com o aumento das importações, que cresceram 15% ao ano (mais que o PIB) nos últimos 25 anos. Atualmente, China é o terceiro maior importador mundial, depois dos EUA e da Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.