China prevê tornar-se a 3ª economia mundial já em 2007

Estimativas apontam que país crescerá 10,8% neste ano, desbancando Alemanha

Agencia Estado

02 de julho de 2007 | 09h26

A China pode desbancar a Alemanha e assumir já este ano o terceiro lugar do ranking econômico mundial. Conforme as projeções divulgadas pelo grupo de pesquisas econômicas do Banco Popular da China, reproduzidas na edição desta sexta-feira, 29, do China Securities Journal, o Produto Interno Bruto (PIB) chinês deverá registrar em 2007 uma expansão de 10,8%, para US$ 2,99 trilhões, a maior taxa em 12 anos.As estimativas apontam que a China pode ultrapassar a Alemanha por uma pequena margem, dependendo da taxa de crescimento do país europeu neste ano. Conforme o instituto de pesquisas econômicas RWI Essen, a soma das riquezas produzidas pela terceira economia mundial deverá chegar a US$ 2,98 trilhões, com um avanço de 2,5% ante 2006.Apesar das seguidas manifestações de preocupação do Banco Central chinês, o aumento do custo de vida na China deverá superar a meta de 3% fixada para este ano. "A inflação poderá chegar a 3,2% - a maior taxa desde 2004", afirma a reportagem do China Securities Journal. Em maio, a inflação medida pelo governo chinês foi de 3,4%, o maior índice dos últimos 27 meses, puxada pela disparada dos preços da carne suína e dos ovos."Os dois aumentos da taxa básica anual de juros para empréstimos e os constantes aumentos dos compulsórios bancários não foram suficientes para frear a rápida expansão econômica e as pressões inflacionárias", frisou o jornal, ao lembrar que a economia nacional expandiu-se 11,1% no primeiro trimestre deste ano frente ao mesmo período de 2006.Caso as projeções se confirmem, a China passará a disputar diretamente a liderança da economia mundial com o Japão (US$ 4,5 trilhões) e os Estados Unidos (US$ 13,3 trilhões), respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
China

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.