Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

China promete controle de crédito para conter inflação

O banco central da China voltou a mirar a inflação nesta segunda-feira, dizendo que controlará o crédito e a liquidez no país para combater as pressões inflacionárias e as bolhas de ativos.

REUTERS

27 de dezembro de 2010 | 10h21

Em comunicado no site do BC (www.pbc.gov.cn), a vice-presidente Hu Xiaolian disse que a China normalizou a política monetária e que o país irá explorar novas maneiras de gerenciar o excesso de liquidez, considerado um importante indutor da inflação na máxima em 28 meses.

As declarações de Hu vieram dois dias após a China surpreender os investidores ao elevar o depósito compulsório bancário e a taxa básica de juro em 0,25 ponto percentual no dia de Natal. É a segunda elevação de juros em pouco mais de dois meses.

"A implementação de uma política monetária prudente é útil para fortalecer o gerenciamento de expectativas de inflação e evitar bolhas de ativos", disse Hu.

Hu reiterou a determinação do BC para enxugar o excesso de capital do sistema financeiro ao usar todas as ferramentas disponíveis: juro, depósito compulsório bancário, operações de mercado aberto, entre outras.

"Nós exploraremos novas ferramentas ... para manter um bom controle no portão de liquidez", disse ela, sem indicar quais poderiam ser as novas medidas.

(Reportagem de Langi Chiang, Aileen Wang e Koh Gui Qing)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCHINABCATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.