Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

China quer apoio do Brasil em disputa contra os EUA

O governo da China pressiona para ter o Brasil ao seu lado em uma disputa contra os Estados Unidos no que se refere à pirataria. Pequim informou o Itamaraty que irá enviar a Brasília nos próximos dias uma comitiva de alto escalão para conseguir o apoio do governo na questão de propriedade intelectual. Hoje, em Genebra, a China também convidou o Brasil para uma reunião para tratar do assunto. O centro da questão é a guerra aberta por Washington contra a pirataria na China. Na Organização Mundial do Comércio (OMC), os americanos apresentaram uma queixa alegando que estão sofrendo prejuízos milionários com a pirataria na China. O chanceler Celso Amorim tomou a decisão de aderir ao contencioso como terceira parte, mas o governo até agora não declarou que posição adotaria. Washington, em sua queixa, acusa a China por violações de propriedade intelectual e alega que sofre prejuízos de US$ 2,2 bilhões em produtos como CDs de música, livros, softwares e filmes. Um dos questionamentos se refere à falta de punições contra empresas que praticam violações de propriedade intelectual com a falsificação de produtos.ServiçosHoje, a OMC ainda lançou sua fase final de negociações sobre a abertura dos mercados de serviços, como telecomunicações, finanças e energia. A entidade apresentou uma proposta de texto em que estabelece que cada país deve oferecer a maior abertura possível de seus setores, ainda que respeitando as sensibilidades das economias emergentes. Americanos e europeus insistem que se não houver uma liberalização do setor de serviços nos países emergentes, como Brasil e China, não terão condição de apresentar cortes no setor agrícola.

JAMIL CHADE, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2008 | 16h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.