China quer investigar dumping europeu para o vinho

Medida anunciada pelo governo chinês alarmou o presidente da França, que pediu à UE para tomar uma decisão conjunta

PARIS, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2013 | 02h07

O presidente da França, François Hollande, pediu à Comissão Europeia que convoque um encontro de cúpula da União Europeia para que os países estabeleçam uma posição comum sobre uma nova disputa comercial com a China, informou uma porta-voz do governo francês. O anúncio foi feito depois de o governo da China dizer que fará uma investigação sobre o que qualificou como subsídios injustos da UE aos produtores europeus de vinho.

"As importações de vinho da UE entram em nosso mercado por meio de dumping, subsídios e outras práticas comerciais injustas, e isso prejudica nossa produção de vinho", diz o comunicado do Ministério do Comércio da China. Esse comunicado foi emitido ontem, um dia depois de a UE anunciar a imposição de tarifas punitivas sobre as importações de painéis de energia solar produzidos na China.

Em Bruxelas, um porta-voz da UE negou que os vinhedos europeus estejam praticando dumping e disse que a investigação chinesa sobre a questão será acompanhada atentamente.

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, disse que não seria "apropriado" convocar os chefes de governo para um encontro de cúpula especial sobre o assunto. "Já discutimos políticas comerciais várias vezes no passado, por isso eu não vejo razão por que os chefes de Estado e de governo não devam discutir isso novamente", afirmou Barroso durante entrevista coletiva junto com o primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy.

Falhas. Em Pequim, a Câmara de Comércio para Importação e Exportação de Maquinaria e Produtos Eletrônicos da China disse que a UE cometeu "falhas sérias durante suas investigações" sobre painéis de energia solar chineses. A agência advertiu que a imposição de tarifas sobre equipamentos chineses de energia solar deverá prejudicar as indústrias europeias. "A imposição de tarifas vai puxar para cima os preços de produtos de energia solar e prejudicar os interesses dos consumidores", diz o comunicado.

A China importou 430 milhões de litros de vinho no ano passado, no valor de US$ 2,6 bilhões, um crescimento de 8,9% em relação a 2011; mais de dois terços do volume importado vieram da Europa, segundo a consultoria Ease Scent Wine & Culture, que cita dados da Alfândega chinesa. As importações chinesas de vinho francês totalizaram 170 milhões de litros em 2012, com crescimento de 11% em comparação com o ano anterior, e representaram 40% das importações totais de vinho pelo país. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.