China tem pouco espaço para novos cortes de juro, diz economista

A China não tem muito espaço para cortar taxa de juro já que isso reduziria o ganho geral com juros dos bancos e, portanto, a habilidade das instituições para enfrentar os empréstimos de baixa qualidade, afirmou um economista sênior à Reuters nesta segunda-feira. Ba Shusong, que trabalha para o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento do Conselho de Estado, contestou o argumento de que a China ainda tem espaço considerável para cortar o juro porque sua taxa básica está bem acima da praticada nos Estados Unidos. As duas taxas básicas não são comparáveis, afirmou Ba, já que a taxa dos Estados Unidos serve como referência para as operações overnight, enquanto o juro chinês é para empréstimos com prazo de um ano. As taxas de juro reais da China estão próximas ou até mesmo abaixo das praticadas nos Estados Unidos, disse Ba, citando como exemplo a taxa de hipotecas de 30 anos do país, que está agora em 4,158 por cento, ante taxa semelhante nos Estados Unidos que é de 5,33 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.