China terá de criar 27 milhões de vagas para universitários

O governo chinês precisará criar postos de trabalho para 27 milhões de universitários nos próximos cinco anos, informou hoje a agência oficial Xinhua. Segundo o Ministério da Educação, há atualmente na China 23 milhões de estudantes universitários, e a média de emprego dos formados oscilou nos últimos anos em torno de 70%. Em 2005, um total de 876 mil licenciados ficou sem trabalho, e o Governo espera que o número aumente este ano."O problema dos graduados sem trabalho nunca tinha sido tão grave como atualmente", disse Yu Baoji, funcionário da Universidade Internacional de Negócios e Economia encarregado de ajudar os estudantes a achar emprego.Há uma década, poucos podiam pagar uma universidade na China, por isso o terceiro grau estava reservado a uma elite, o que supunha a garantia de conseguir um bom emprego.Apesar dos proibitivos custos da educação universitária, o número de estudantes de nível superior aumentou consideravelmente graças aos esforços das famílias, que dedicam mais da metade de seu salário a pagar os estudos de seus filhos.Durante o próximo qüinqüênio, o número de formados aumentará anualmente em 1 milhão, e espera-se que em meados deste ano 4,13 milhões de estudantes recebam seu diploma universitário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.