Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

China vai inspecionar frigoríficos por vídeo

O Ministério da Agricultura enviou para a China uma lista de 30 unidades frigoríficas para serem habilitadas a exportar para o país

Auusto Decker, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2019 | 14h43

A China inspecionará quatro frigoríficos brasileiros de aves e suínos amanhã, conforme antecipou o Estadão/Broadcast. A inspeção será feita por meio de videoconferência – funcionários do Ministério da Agricultura brasileiro farão transmissões, a partir das fábricas, para a China. 

O Ministério da Agricultura enviou para a China uma lista de 30 unidades frigoríficas para serem habilitadas a exportar para o país – entre unidades de abate de bovinos, suínos e frangos.

A China escolheu uma dessas unidades e associações brasileiras ligadas ao setor de proteína animal, outras três. Espera-se que a resposta do país asiático – em forma de liberação para exportação ou não – seja rápida. A China está ampliando as importações de carnes por causa da peste suína africana, que vem assolando seus plantéis. 

Para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, a inspeção por videoconferência é bom sinal. “A gente pode considerar sinal de boa vontade dos chineses e uma recuperação da credibilidade do Brasil.”

Segundo ela, o protocolo entre Brasil e China estabelece inspeção in loco nas plantas, mas o país asiático abriu mão dessa exigência. Esta será a primeira vez que uma inspeção do tipo ocorre por videoconferência. Segundo a ministra, os chineses querem acelerar a liberação das fábricas por causa da peste suína africana.

Tudo o que sabemos sobre:
China [Ásia]Tereza Cristina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.