China vai limitar produção de 10 metais não ferrosos até 2015

Segundo jornal chinês, redução pode chegar a um total de 41 milhões de toneladas

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

26 de julho de 2010 | 10h03

A China planeja limitar a produção anual de 10 metais não ferrosos para um total combinado de 41 milhões de toneladas até 2015, afirmou o jornal China Securities, citando detalhes do 12º projeto de 5 anos da indústria de metais não ferrosos.

Os metais são o cobre, alumínio, chumbo, zinco, níquel, estanho, antimônio, magnésio, titânio esponjoso e mercúrio, disse o vice-presidente da Associação da Indústria de Metais Não Ferrosos da China, Shang Fushan, de acordo com o jornal.

Como parte do plano, o país limitará a capacidade de produção do cobre fundido para menos de 5 milhões de toneladas, a de cobre refinado entre 6,5 milhões e 7 milhões de toneladas, a do alumínio galvanizado para menos de 20 milhões de toneladas, a do chumbo fundido para menos de 5,5 milhões de toneladas, e a do zinco fundido para menos de 6,7 milhões de toneladas, de acordo com o jornal.

A proposta também incentiva as siderúrgicas a desenvolver recursos domésticos de mineração e projetos de cooperação com mineradoras estrangeiras a fim de assegurar o fornecimento de matérias-primas. O setor de cobre planeja garantir 40% de sua matéria-prima no setor doméstico até 2015, enquanto que os setores de alumínio e de zinco pretendem assegurar 80% e 50%, respectivamente.

Até 2015, a produção de cobre refinado reciclado corresponderá por cerca de 40% da produção total de cobre refinado por ano, enquanto que a de alumínio reciclado representará 30% do total da produção de alumínio galvanizado e a do chumbo reciclado responderá por 30% do total da produção de chumbo refinado.

O plano também incentiva o desenvolvimento da fabricação e do processamento de metais, onde a capacidade de produção da tira de cobre alcançará 60 mil toneladas até 2015, a do tubo de cobre atingirá 850 mil toneladas e a da bobina de cobre totalizará 500 mil toneladas.

Até 2015, a produção de alumínio industrial estrudado deverá atender à demanda doméstica, de acordo com jornal. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
chinaproduçãometais não ferrosos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.