Chinês que resiste a condomínio de luxo tem casa cercada por fosso

Homem de 75 anos lutou por dez anos para não vender imóvel, mas agora sente vergonha do luxo ao redor

Economia & Negócios,

15 de julho de 2013 | 16h08

SÃO PAULO - Um chinês que se recusou a vender sua casa para um empreendimento de luxo acabou sofrendo duras consequências por ter desafiado o poder dos construtores.

Além de ter sua casa cercada por várias construções novas, ele também viu seu imóvel ser isolado dos vizinhos por um fosso, como aqueles que cercavam os castelos da antiguidade para evitar ataques de inimigos.

Zhuang Longdi recusou-se a abrir caminho para um projeto de casas de luxo. Os construtores, além de isolarem a casa do chinês de 75 anos, ainda responderam  de forma irônica dizendo que sua casa agora está "mais agradável de olhar".

A história lembra o personagem Urtigão, de Walt Disney, que se recusava a vender sua casa para o Tio Patinhas e não aceitava ceder espaço para os projetos comerciais no local.

O Urtigão chinês travou uma batalha legal de dez anos contra os construtores responsáveis pelo condomínio de luxo. Os empresários negam que tenham tentado forçar o idoso de sair da sua casa na aldeia de Pangyang, na província de Jiangsu, ao Leste da China.

 

Lu Hun, porta-voz da empresa, declarou ao jornal inglês Daily Mail: "A casa está uma bagunça, tivemos várias reclamações, então fizemos uma espécie de ilha para torná-la mais agradável de se olhar".

 

Agora, para entrar e sair de casa, a família de Zhuang precisa afundar até a cintura em um fosso de água barrenta.

Ironicamente, Zhuang está pensando agora em se mudar, não por causa da pressão dos construtores e dos vizinhos, pelo dinheiro que eles ofereceram ou mesmo por causa do fosso.

Ele explicou: "A pior coisa é que existem todas estas moradias de alta qualidade em volta, mas eu ainda estou vivendo nesta casa pobre, e eu me envergonho".

Tudo o que sabemos sobre:
casachinêsfossoimóvel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.