Chipre não precisa de pacote de ajuda completo, diz presidente

Segundo seu líder, o país precisa de dinheiro apenas para capitalizar seus bancos 

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

29 de junho de 2012 | 13h05

BRUXELAS - O presidente do Chipre, Demetris Christofias, disse que a ilha mediterrânea não precisa de um pacote de empréstimo completo, apenas de dinheiro para capitalizar seus bancos. "O Chipre não precisa de um resgate completo...o nosso déficit orçamentário ficará abaixo de 3% (do Produto Interno Bruto) no final do ano. Acreditamos que o financiamento será, principalmente, se não totalmente, para a recapitalização de bancos", afirmou Christofias no fim da cúpula da União Europeia.

O Chipre solicitou oficialmente a ajuda de seus parceiros europeus no início desta semana, tornando-se o quinto país da zona do euro a pedir um resgate. Funcionários do governo na capital Nicósia dizem que o problema está com os bancos da ilha por causa de sua exposição à Grécia e não da economia em geral.

Mas autoridades da zona do euro disseram que Chipre deverá receber um empréstimo de cerca de 10 bilhões de euros (US$ 12,5 bilhões) que irá abranger tanto as necessidades fiscais dos país quanto as bancárias. "O pacote de resgate é estimado em cerca de 10 bilhões de euros. Teremos um quadro mais claro depois que representantes dos credores visitarem Nicósia partir da próxima semana", disse um dos funcionários.

Christofias se recusou a dizer quanto dinheiro o Chipre precisa. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaCriseChipre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.