Chrysler e Fiat dizem que acordo pode ser desfeito após dia 15

Suprema Corte emitiu na segunda-feira ordem estendendo suspensão do acordo determinada pela Corte de NY

AE-DJ,

09 de junho de 2009 | 18h04

A Chrysler e a Fiat, em documentos separados entregues à Suprema Corte dos EUA, afirmaram que o acordo entre as duas montadoras pode ser desfeito caso não seja fechado até o dia 15 de junho.

 

Veja também:

linkSuprema Corte dos EUA adia venda da Chrysler para Fiat

linkVeja detalhes do pedido de concordata da Chrysler

linkAcompanhe a trajetória da Chrysler até o pedido de concordata

linkConheça o perfil da montadora norte-americana

 

"Se a venda não for concluída em breve, não poderá haver garantia de que uma transação substituta possa ser estruturada e finalizada para preservar qualquer aspecto da Chrysler como uma empresa viva", disse a Fiat. A Chrysler, por sua vez, afirmou que "cada dia após o dia 15 de junho vai aumentar o risco de que os negócios da empresa não sejam capazes de recomeçar com sucesso".

 

A Suprema Corte emitiu na segunda-feira, 9, uma ordem estendendo a suspensão do acordo determinada pela 2ª Corte de Apelações de Nova York, que havia aprovado a venda na sexta-feira, mas deu aos opositores três dias para que eles pudessem fazer uma apelação ao alto tribunal.

 

Ontem à noite, o executivo-chefe da montadora italiana, Sergio Marchionne, afirmou que a Fiat está comprometida com o acordo, mesmo que a suspensão da venda seja estendida até depois do dia 15 de junho. Esse prazo havia sido estabelecido pela própria Fiat como limite para que a transação fosse fechada.

 

Após a declaração de Marchionne, os advogados dos fundos de pensão que pediram a suspensão do acordo se apressaram em destacar que a manutenção do compromisso da Fiat dá à justiça tempo para considerar todos os seus argumentos. "O risco de encerramento da transação pela Fiat se o acordo não for fechado até 15 de junho já não fornece uma base para guiar a velocidade dos procedimentos", disseram os advogados em um documento entregue à justiça hoje pela manhã. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChryslerFiat

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.