Chrysler negocia venda de ativos para Renault, dizem fontes

Pessoas próximas das negociações confirmam conversas sobre aquisição; porta-voz da Renault, porém, nega

Reuters,

14 de janeiro de 2009 | 09h46

A Chrysler está negociando a venda de ativos estratégicos à Renault-Nissan e à fornecedora automotiva Magna, de acordo com pessoas próximas das discussões. Entretanto, a montadora francesa negou tais conversas nesta quarta-feira, 14.  Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   A Chrysler está sob pressão para se reestruturar, após ter tomado empréstimos de US$ 4 bilhões do governo dos Estados Unidos.  A Renault e a japonesa Nissan - que pertence em parte à empresa francesa - fizeram alguns contatos com a Chrysler sobre a venda total ou de partes da montadora norte-americana antes do governo dos Estados Unidos ter agido para resgatar a Chrysler e a General Motors em dezembro.  As negociações ganharam força nas semanas recentes e incluíram discussões sobre uma transação para a venda da Jeep, marca icônica da Chrysler, de acordo com três pessoas com conhecimento das conversas.  A Renault, chefiada por Carlos Ghosn, tem procurado esclarecer se um acordo para adquirir ativos da Chrysler vai comprometer o acesso da companhia ao fundo do governo dos Estados Unidos, disse uma das pessoas próxima das conversas.  Entretanto, uma porta-voz da montadora francesa negou que as negociações estão acontecendo. "A Renault nega que está mantendo qualquer negociação com a Chrysler", disse Frederique Le Greves.  A Chrysler, terceira maior montadora dos Estados Unidos, pertence ao grupo de investimentos Cerberus Capital Management.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.