coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Churrascarias de SP e pecuaristas de MS fecham acordo

Representantes da Associação das Churrascarias do Estado de São Paulo (Achuesp), estão fechando contrato com pecuaristas de Mato Grosso do Sul para a compra de 1.200 toneladas de carne de qualidade, o que equivale a 5 mil novilhos precoces por mês, ou 60 mil por ano. As negociações estão se desenvolvendo desde fevereiro do ano passado, quando foi feita a proposta e, durante esse período, os produtores de novilho precoce conseguiram se organizar.Eles criaram a Associação Sul-Matogrossense de Criadores de Novilho Precoce, fizeram um acordo para o abate dos animais com o Frigorífico Marfrig. Hoje, às 20h, devem assinar o contrato com os paulistas, na Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul). O valor do contrato, tipo de carcaça e outras informações técnicas não serão reveladas, conforme explicou Ezequiel do Vale, da Embrapa Gado de Corte, responsável pelo aprimoramento do novilho precoce.Para incentivar o aumento na produção desse tipo de bovino, será instituído prêmios para a melhor carcaça. Na primeira etapa do contrato serão fornecidas 1.200 toneladas/mês de carne, para abastecer um total de 100 churrascarias instaladas em São Paulo. Cerca de 80% desses estabelecimentos estão na capital paulista. A carne foi devidamente testada pelos compradores e considerada de ótima qualidade. Devido à precocidade - um novilho pode ser abatido com um ano idade pensado, entre 15 e 18 arrobas - não existe diferença na qualidade da carne do traseiro ou do dianteiro, ou ainda na carne de primeira ou de segunda. A qualidade é única em todo o animal.

Agencia Estado,

21 de março de 2002 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.