Ciclos de alta da Selic devem impactar financiamento imobiliário em 2022
Conteúdo Patrocinado

Ciclos de alta da Selic devem impactar financiamento imobiliário em 2022

Bancos devem repassar reajuste dos juros ao consumidor de imóveis a partir do segundo trimestre deste ano

Loft, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

06 de janeiro de 2022 | 08h00

O mercado imobiliário brasileiro, que sofreu ligeira estagnação no primeiro semestre de 2020 em função da pandemia, não encontrou acomodação. Com o isolamento social, a procura pelo lar ideal que pudesse abrigar a família, a escola a distância e o trabalho remoto aqueceu a oferta e a demanda já no segundo semestre de 2020. E, de acordo com estimativa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o Valor Geral de Vendas (VGV) encerrou 2021 em R$ 99 bilhões no País, o que representa crescimento de 12% em relação ao ano anterior.

No entanto, novas altas da Selic devem impactar o setor impactar o setor em 2022. Na última reunião do Copom em 2021, a taxa básica de juros foi atualizada para 9,25% ao ano, e a expectativa é que continue subindo, a fim de frear a inflação. “A gente já tem visto alguns bancos se adequando, e com certeza essa alta vai impactar o mercado. Não perca a oportunidade, a hora é agora. Se você está postergando a decisão, aproveite o momento econômico do mercado, que ainda está favorável”, afirma Ana Romeo, líder de Produto da Loft, plataforma digital que usa tecnologia para simplificar a transação de imóveis. “Até o primeiro trimestre deste ano ainda é o momento mais favorável possível para vender ou comprar um imóvel. Depois disso fica muito difícil prever, mas ainda não estamos vendo retração de demanda.”

Planos de expansão

Em 2021, a empresa registrou aumento de dez vezes no número de visitas mensais aos apartamentos ofertados, e o tráfego no site cresceu 200% ao longo de 2021. A plataforma acaba de chegar a Belo Horizonte, terceira grande cidade depois de São Paulo e Rio de Janeiro. “Sem dúvida nenhuma, neste ano um dos nossos principais pilares de trabalho é a expansão. Queremos estar em mais lugares do Brasil e oferecer essa experiência para mais pessoas”, completa Romeo.

Para Jardel Cardoso, vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Loft, a segunda fase do projeto de consolidação da Loft como o maior marketplace do mercado imobiliário, trazendo as imobiliárias para o foco dessa construção, é essencial para impulsionar o crescimento de longo prazo e fortalecer o relacionamento com os canais de atendimento ao cliente de maneira inovadora, tanto na adoção de novas tecnologias quanto no modelo de negócio.

“Na Loft, uma imobiliária parceira pode ficar com até 90% do comissionamento, além de não pagar nada para listar seu imóvel conosco. É o que chamamos de Win Together. Todos ganham numa transação”, explica.

Nunca é só um apartamento

Pensando em facilitar a vida do vendedor e do comprador em um momento tão importante, a Loft desenvolveu produtos e serviços que apoiam a tomada de decisão, que envolve expectativas, sonhos e planejamento financeiro, oferecendo suporte às pessoas por meio de dados, para que possam tomar a melhor decisão. Segundo Romeo, o importante na atuação da empresa é “a ideia de que nunca é só um apartamento. Essa jornada está muito relacionada ao momento de vida das pessoas. Tentamos sempre entender quais são as motivações que levam à negociação do imóvel e oferecer suporte para essa decisão”. Para isso, a empresa aposta na humanização do atendimento e na interlocução. O apoio inclui fotógrafos, tour virtual, conteúdo específico, tecnologia para assinatura digital de contrato e até mesmo auxílio para encontrar as melhores condições de financiamento por meio da LoftCred e da CredHome.

Tanto quem vende quanto quem compra pode acompanhar a jornada, saber qual é o próximo passo e o que é necessário providenciar, com total transparência. “Nesses três anos da Loft o aprendizado que fica é de que nunca é só uma negociação, principalmente num país onde existem 50 mil imobiliárias e 500 mil corretores. Na garantia locatícia, por exemplo, ficamos com o cliente durante toda a vida do contrato, sempre pensando de que maneira podemos ajudar, desenvolvendo tecnologias e lançando novos produtos para atender o maior número possível de clientes, imobiliárias e profissionais do mercado imobiliário", conclui Cardoso. O momento de comprar e/ou vender é agora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.