Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ciesp diz que Selic poderia ser cortada em até 1,25%

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) emitiu uma nota oficial sobre a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central em ter reduzido a taxa Selic em 0,50 ponto porcentual na quarta-feira, dizendo que "a audácia dos membros do Copom não consegue ultrapassar os limites de uma queda de 0,5% da taxa de juros".Segundo a nota da Ciesp, "vivemos momento oportuno para se definir uma queda mais intensa da Selic, algo entre 0,75% e 1,25%". Porém o Centro pondera que tais "iniciativas não cabem nas decisões do Copom".A nota da Ciesp também salienta que "com o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) encerrando o ano abaixo da meta, o cenário externo mantendo-se benigno, as contas fiscais em razoável harmonia para o equilíbrio macroeconômico, a despeito das reformas que deverão ser encaminhadas no próximo ano, e o saldo em transações correntes atingindo níveis recordes, bem como as reservas cambiais, é incompreensível para o setor industrial a posição do Copom ao não buscar acelerar os estímulos ao crescimento (leia-se indução ao aumento dos investimentos) para podermos iniciar 2007 em ´velocidade de cruzeiro´".A Ciesp conclui a nota afirmando esperar que "a lentidão das autoridades monetárias, ou em outras palavras, a convicção de que o ritmo a ser dado é este, não faça de 2007 uma repetição de 2006. Crescer na média dos demais países emergentes deveria ser a primeira meta na agenda político-econômica do país".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.