Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Ciesp: insegurança e hábito reduzem compras pela internet

A segurança afeta compras pela internet. Pesquisa fresquinha realizada pela Ipsos a pedido do Ciesp, de Cláudio Vaz, mostra que nada menos que 83% dos entrevistados disseram nunca utilizar a rede como canal de compras. Os mais desconfiados estão nas classes C e D: 100% dos entrevistados disseram jamais comprar pela internet. Segundo o diretor do Departamento de Infra-estrutura do Ciesp, Verner Dittmer, não é só a insegurança que impede que o brasileiro compre mais: é também a falta de hábito. ''''É normal que, ao realizar uma compra, o consumidor queira tocar no produto, escolher a cor, ler as informações da embalagem, o que não é possível de ser feito online. Mas a grande pedra no caminho é mesmo o fato de que as pessoas não se sentem seguras com o tráfego de dados pelo sistema, como por exemplo o número do cartão de crédito.''''No entanto, surpreendentemente para um país de Terceiro Mundo, 11% dos brasileiros pesquisados usam a internet. A Ipsos revela também que nas classes A e B esse número cresce para 44%, ficando em 10% entre a população pertencente à classe C. Mas apenas 1% dos brasileiros das classes C e D disseram possuir internet em casa. Como seria de esperar, está no Sudeste o maior número de entrevistados: 15%. No Norte, Centro-Oeste e Sul, 10% acessam a internet em casa e na Região Norte essa porcentagem é de apenas 3%. A pesquisa ouviu mil pessoas de 70 cidades diferentes e de 9 regiões metropolitanas de todo o Brasil.E quem é que usa banda larga? Surpreendentemente, esse é o meio de acesso predominante em todas as classes sociais e regiões: 71% nas classes A e B, 51% na classe C e 62% nas D e E.IMPRESSÃO DIGITAL David Feffer, da Suzano, espera para até o fim de novembro o disclosure da venda do setor petroquímico do grupo para a Petrobrás, por US$ 2,7 bilhões. O que fará o grupo com os recursos? Segundo Feffer, não há planos por enquanto mas vai examinar oportunidades. ''''O setor de papel e celulose é nosso forte'''', lembra. Neste ínterim, Feffer pretende mesmo é tirar umas férias.O fato é que a venda da Suzano Petroquímica vai possibilitar a criação da Companhia Petroquímica do Sudeste, abrigando todas as unidades de produção de matéria-prima básica e de resinas plásticas da região em uma só empresa. Coisa importante para o Brasil.EDUCAÇÃO A CEF vai destinar R$ 1 milhão para produção de material multimídia da série ''''Aprendendo a Exportar'''', voltado para cada um dos 27 Estados brasileiros .Técnicos do Ministério do Desenvolvimento e da CEF assinaram ontem acordo de cooperação técnica na área de capacitação.RISCO E OPORTUNIDADEO Banco Real promove hoje e amanhã treinamento em sustentabilidade para os funcionários das áreas de clientes, produtos e tesouraria.Ao todo, 300 profissionais assistirão a palestras sobre mudanças climáticas com foco em riscos e oportunidades para as instituições financeiras e seus clientes. Fabio Barbosa, presidente do banco, participa do encontro que é parte do projeto de desenvolvimento sustentável da organização.MATURIDADEAcontece, amanhã, na Sala São Paulo, uma festa de 40 anos do Banco Fator.Capitaneada por Walter Appel.TECNO SAÚDENos EUA, os erros médicos que poderiam ser prevenidos representam cerca de US$ 17 bilhões a mais em custos diretos e indiretos. No Brasil, a falta de organização e padronização do setor levou a Agência Nacional de Saúde a exigir que o sistema de saúde brasileiro seja totalmente informatizado até o final de novembro.A medida está provocando uma corrida do setor pela informatização - já que apenas 20% utilizam algum tipo de sistema de gestão.NATUREBAO projeto OrganicsBrasil - que fomenta exportação de produtos orgânicos - se prepara para a maratona nos Estados Unidos, Japão e América Latina para prospectar as três principais feiras do setor.Com 41 empresas e exportações que geraram US$ 27 milhões, busca maior penetração, principalmente no mercado americano. Hoje, exportam produtos para a Whole Foods, mas sabe-se que o Wal-Mart está de olho nos industrializados de maior valor agregado.VÍDEO WAYEm parceria com a Apex-Brasil, a FilmBrazil, projeto internacional desenvolvido pela Associação Brasileira de Produção de Obras Audiovisuais, está em missão de prospecção na Europa.Já visitaram produtoras de filmes, agências de propaganda e emissoras de TV em Milão e hoje estarão em Londres.REALIZAÇÕESOntem foi dia de realizações no mercado brasileiro. E, diferentemente do que acontece habitualmente - os ativos perdem valor -, o preço das ações não caiu.Sinal de otimismo...

O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2020 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.