Ciesp prevê que geração de empregos na indústria pode zerar em outubro

A geração de emprego na indústria paulista poderá atingir nível zero entre outubro e novembro deste ano, na avaliação do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). Com base em sua pesquisa mensal de nível de emprego, a entidade afirma que questões como a elevada taxa de juros e os níveis reduzidos da taxa de câmbio continuam criando um cenário de desestímulo a novas contratações, que tende a se agravar nos próximos meses.O diretor do Departamento de Economia (Decon) do Ciesp, Boris Tabacof, disse que começa a se manifestar na indústria um clima de preocupação quanto à manutenção da política de juros altos, em decorrência da atual crise política vivida pelo governo federal."O que preocupa a indústria neste momento é que as dificuldades políticas sirvam como pretexto para prolongar um desafogo da política monetária", afirmou o diretor do Ciesp, insistindo que os juros e o câmbio estão reduzindo a competitividade do setor. "É uma questão de causa e efeito."Apesar disso, Tabacof elogiou a entrevista concedida ontem pelo ministro da Fazenda, Antônio Palocci, para explicar as denúncias sobre a existência de um esquema de propina envolvendo empreiteiras da área de lixo na época em que ocupava a prefeitura de Ribeirão Preto (SP). "Isso transmitiu segurança ao mercado", afirmou, acrescentando que o País enfrenta atualmente um teste do funcionamento de suas instituições. "E acredito que vamos passar bem."

Agencia Estado,

22 de agosto de 2005 | 17h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.