Cigarros diminuem alta, alimentos cai e IPC-S sobe menos

A inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) desacelerou em meados de junho, devido a uma menor alta nos custos de cigarros e a uma queda dos alimentos.

REUTERS

16 de junho de 2009 | 09h27

O indicador subiu 0,29 por cento na segunda prévia deste mês, ante alta de 0,43 por cento na primeira, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

"Este é o menor resultado desde a quarta semana de fevereiro de 2009... Quatro das sete classes de despesa componentes do índice registraram decréscimos em suas taxas de variação", disse a FGV em nota.

Os custos de Despesas Pessoais, que estão refletindo o reajuste dos cigarros, desaceleraram fortemente o aumento, passando de 3,27 por cento na primeira prévia para 1,96 por cento na segunda.

Esse foi o grupo que mais contribuiu para o arrefecimento do IPC-S, segundo a FGV.

Os preços de Alimentação tiveram variação negativa de 0,04 por cento, revertendo a alta do mesmo tamanho na prévia anterior.

Os custos de Habitação também subiram em ritmo menor, em 0,48 por cento nesta leitura ante 0,65 por cento na anterior.

As maiores quedas individuais de preços na segunda prévia de junho vieram dos alimentos: mamão papaia, tomate, alface, manga e abacaxi.

As principais altas foram de leite longa vida, cigarro, aluguel, batata inglesa e tarifa de água e esgoto.

Apesar de ainda constar entre as maiores contribuições altistas, a alta de 4,90 por cento dos cigarros na segunda prévia do mês ficou bem abaixo da de 8,81 por cento apurada na primeira leitura.

(Reportagem de Vanessa Stelzer; Edição de Paula Laier)

Tudo o que sabemos sobre:
INFLACAOIPCSSEGUNDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.