Cimento pressiona custo da construção no RJ

Os construtores fluminenses voltaram a criticar o comportamento dos produtores de cimento. No mês passado, o material foi reajustado em 4%. Com isso, acumula alta de 8,33% no ano, enquanto a inflação apurada pelo IGP-M da FGV é de 0,42%. Nos últimos 24 meses, o insumo subiu 44,44%, ante IGP-M de 19,97%.O cimento foi um dos produtos que mais pressionaram os custos de construção no Rio de Janeiro no mês passado. Outros destaques foram o vidro liso transparente, com alta de 5%, e o carpete com 6 mm de espessura, que aumentou 2,94%.Com isso, os materiais que compõem a cesta básica de construção do Estado sofreram reajuste médio de 0,73%. Como os custos de mão-de-obra não se alteraram, o Custo Unitário Básico (CUB) residencial aumentou 0,38% em fevereiro, ante janeiro.O indicador ficou em R$ 546,68 por m². A mão-de-obra contribuiu com R$ 263,95 por m², e os materiais de construção, com R$ 282,73. O CUB acumula reajuste de 0,82% no ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.