Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Cinco Estados responderam por quase dois terços do PIB em 2014

Produção de riqueza está concentrada nas regiões Sul e Sudeste; Norte, Nordeste e Centro-Oeste são mais dependentes da administração pública

Daniela Amorim, Broadcast

28 Novembro 2016 | 10h21

RIO - Apenas cinco Estados foram responsáveis por quase dois terços do Produto Interno Bruto brasileiro em 2014, segundo os dados das Contas Regionais, divulgados nesta segunda-feira, 28, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

São Paulo manteve a liderança na participação do PIB, com uma fatia de 32,2% de toda a economia brasileira, mesmo porcentual alcançado em 2013. Os demais Estados com maior participação foram Rio de Janeiro (com 11,6%), Minas Gerais (com 8,9%), Rio Grande do Sul (com 6,2%) e Paraná (com 6,0%). Juntos, os cinco Estados responderam por 64,9% do PIB.

O PIB do Brasil em 2014 foi de R$ 5,78 trilhões. São Paulo somou R$ 1,86 trilhão, seguido por Rio de Janeiro (R$ 671,08 bilhões), Minas Gerais (R$ 516,63 bi) e Rio Grande do Sul (R$ 357,82 bi).

Os três Estados com menor geração de riqueza foram Roraima (R$ 9,74 bi), Amapá (R$ 13,40 bi) e Acre (R$ 13,46 bi). 

Setor público. A administração pública ainda respondia por praticamente um quarto da economia das regiões Norte (24,7%), Nordeste (24,3%) e Centro-Oeste (25,9%) em 2014. "Ou seja, esses Estados são bastante dependentes dessa atividade de administração pública", ressaltou Frederico Cunha, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE.

Sul e Sudeste seguem com pequena participação da administração pública na economia, 13,8% e 12,7%, respectivamente.

As Unidades da Federação com maior peso do governo no PIB foram Roraima (45,8%), Amapá (44,3%) e Distrito Federal (43,1%). O estado com a menor participação da administração pública foi São Paulo, apenas 9,7% do PIB local. 

Estados. O PIB de São Paulo recuou 1,4% na passagem de 2013 para 2014. O Estado detém a maior participação no PIB brasileiro, uma fatia de 32,2%. Os dados são das Contas Regionais divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No PIB do Paraná, a queda foi de 1,5% em relação a 2013. Minas Gerais teve recuo de 0,7%, enquanto o Rio Grande do Sul diminuiu 0,3%.Segundo o IBGE, houve impacto negativo nesses estados, sobretudo, das perdas da indústria de transformação no ano.

Na direção oposta, Tocantins teve o maior crescimento no PIB, 6,2%, impulsionado pela agricultura, comércio e construção. Os demais aumentos relevantes foram no Piauí (5,3%), Alagoas (4,8%), Acre (4,4%) e Mato Grosso (4,4%). Em 2014, o PIB brasileiro cresceu 0,5% em relação a 2013.

Mais conteúdo sobre:
IbgePibEstados da União

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.